Perdoar nos fará felizes

Artigo de Célio Pezza, Escritor O antigo presidente Juscelino Kubitscheck dizia que costumava voltar atrás, pois não tinha compromisso com o erro. Esta frase diz tudo. Errar faz parte de nossa vida e o aprendizado com estes erros faz com que aumente a nossa experiência e nos torne capaz de não cometer pelo menos oContinuar lendo “Perdoar nos fará felizes”

Reconstruir o templo: voltar e recomeçar!

Durante a 25a Semana do Tempo Comum (ano A/2011) refletimos nas leituras bíblicas de Esdras e Ageu sobre o retorno do povo de Israel para a sua terra. Esta volta é recheada de emoção, de alegria e surpresas. Um acontecimento esperado há muitos anos. Tudo se dá dentro do reinado de Ciro (rei da Pérsia).Continuar lendo “Reconstruir o templo: voltar e recomeçar!”

Perdoar é permitir que a vida continue

Em nossa cultura, em nosso tempo, tolerância e bom senso tornaram-se valores obsoletos. Parecemos uma sociedade que perdeu o interesse pelo futuro. Essa apatia indica que não existem projetos coletivos que deem sustentação e sentido à vida das pessoas. Modificar esse tipo de atitude supõe que se resgatem valores éticos que se coloquem a serviçoContinuar lendo “Perdoar é permitir que a vida continue”

Perdoar sempre, e ir adiante…

Bem sabemos que o ato do perdão não é mágico, mas processo de síntese, entrada em si mesmo, memória do que Deus fez e faz por nós, como ainda desejo de ser livre no corpo, na alma, na mente… Perdoar não simplesmente porque “o outro é culpado”, mas porque o perdão nos humaniza, nos diviniza,Continuar lendo “Perdoar sempre, e ir adiante…”

Perdão: a mesquinhez humana procura sempre uma medida

O judaísmo já conhecia o perdão das ofensas, mas se tratava de uma conquista recente, que só se conseguia impor mediante a lista de tarifas precisas. A mesquinhez humana procura sempre uma medida, uma norma que lhe dê satisfação. Perdoar, sim, mas quantas vezes? Os rabinos, para acentuar a liberalidade de Deus, diziam que eleContinuar lendo “Perdão: a mesquinhez humana procura sempre uma medida”

O dom da maternidade como caminho para a vida

O Salmista canta neste dia: “Vós me ensinais vossos caminhos para a vida; junto de vós felicidade sem limites!” (Sl 15/16). O júbilo e a gratidão aqui expressas, obviamente, são dedicados ao Senhor, o nosso refúgio, aquele fora do qual não podemos achar nenhum bem. Entretanto, essas palavras do salmista não ficam muito distantes daContinuar lendo “O dom da maternidade como caminho para a vida”

Curar os ferimentos sem nutrir ódio pelos que nos feriram

Ganhar e perder são dois lados de um mesmo caminho. (…) Quando alguém nos magoa, nós só temos duas possibilidades. A vingança ou o perdão. A primeira nos tornará felizes por algumas horas, ou até mesmo por alguns dias. A segunda nos possibilitará uma felicidade que poderá durar a vida inteira. (…) A escolha doContinuar lendo “Curar os ferimentos sem nutrir ódio pelos que nos feriram”

…batendo no peito dizia: Senhor, piedade, sou um pecador!

Vez em quando encontramos pessoas destruídas por causa da maldade dos outros. É assustador a sedução do mal nas nossas vidas! Evidentemente, esse mal tem outras facetas, na sua raiz, aquele espaço obscuro em nós que carece de amor. São desastrosas as conseqüências de quem se deixa dominar pelos apelos de vingança de um amorContinuar lendo “…batendo no peito dizia: Senhor, piedade, sou um pecador!”

Os olhos da misericórdia de Deus no Halleluya

Profundas são as palavras da Liturgia deste Domingo (XVII TC), especialmente da 2ª Leitura, quando diz: “(…) vós estáveis mortos por causa dos vossos pecados, e vossos corpos não tinham recebido a circuncisão, até que Deus vos trouxe para a vida, junto com Cristo, e a todos nós perdoou os pecados” (cf. Cl 2, 12-14).Continuar lendo “Os olhos da misericórdia de Deus no Halleluya”

“Salvaste-me quando estava já morrendo!”

O tema da salvação e da ressurreição são muito importantes para mim, não simplesmente por eu ser católico e aluno de teologia, mas eles me são familiares por causa da experiência concreta que fiz em ter sido salvo e ressuscitado da morte. Quem teve a oportunidade de ser salvo da morte física ou de “algumContinuar lendo ““Salvaste-me quando estava já morrendo!””