As crianças profetizarão, terão visões, sonharão!

Partilhava-me uma amiga casada, professora, sobre o fato lhe ocorrido na escola em dias recentes. Seu relacionamento com o esposo se encontrava com algumas tensões e seu coração lutava para não se deixar levar pela irritação permanente e, principalmente, a falta de perdão. Um determinado dia chegara à escola com o coração atribulado, sem paz,Continuar lendo “As crianças profetizarão, terão visões, sonharão!”

Dra. Zilda Arns era a nossa Madre Teresa de Calcutá

O Brasil sempre teve muito orgulho de Dra. Zilda Arns, fundadora e coordenadora da Pastoral da Criança. Dolorosa foi a notícia de sua morte há pouco mais de um ano, 12 de janeiro de 2010, quando em visita ao Chile, nas atividades internacionais de promoção e instalação da Pastoral da Criança, foi vítima do terremotoContinuar lendo “Dra. Zilda Arns era a nossa Madre Teresa de Calcutá”

Nossas crianças: devolvê-las a inocência e a alegria!

Dentro da temática dos Direitos das Crianças, refletido pelo Pontifício Conselho para a Família (Lexicon, CNBB, 2007), indispensável, sem dúvida, é o direito de devolver às crianças sua alegria. Diz o texto: “Devemos assumir uma tarefa difícil mas estimulante, qual seja, de devolver à criança o que melhor a caracteriza: a sua inocência e aContinuar lendo “Nossas crianças: devolvê-las a inocência e a alegria!”

Maria, relação de amor que abraça o pecador!

Hoje é mais latente a necessidade da humanidade pela ternura, pelo afeto e proteção. Estamos, de certa forma, órfãos de uma maternidade biológica e espiritual, não obstante termos em casa uma mãe, uma mulher geradora ou os nossos progenitores, papai e mamãe. Falta-nos a convivência e, consequentemente, a intimidade. O colo de mãe, o afeto,Continuar lendo “Maria, relação de amor que abraça o pecador!”

Mãe Pretinha de Aparecida, rogai por nós!

“Quando temos fé contemplamos as coisas impossíveis da parte de Deus”, disse nosso arcebispo, Dom José Antônio, na Santa Missa de abertura pelo dia festivo de Nossa Senhora Aparecida, no Santuário dedicado a ela aqui em Fortaleza. Este também foi, sem dúvida, o testemunho daqueles três pescadores (Filipe, Domingos e João Alves), nas águas doContinuar lendo “Mãe Pretinha de Aparecida, rogai por nós!”

Quem quer que seja a criança, “a sua vida não tem preço”

Marie Thérese HermangeFilósofa e Presidente do Intergrupo Parlamentar Família e Proteção da Infância, Europa. Quem hoje será capaz de levantar-se para dizer “Não” a tudo o que fere, avilta ou mata a criança? Quem ousará lembrar, com voz alta e forte, que cuidar de nossos filhos significa sentir sua necessidade de significado e de união? Continuar lendo “Quem quer que seja a criança, “a sua vida não tem preço””

Dois tipos de aborto silencioso e cruel

Quem de nós não tem na própria casa, entre os familiares ou na família de pessoas queridas, ligadas a nós, a triste situação das drogas? Minha família conheceu de perto este drama e o sofrimento foi incalculável para nós. Nos meus anos de vida missionária escutei muitas mães com esta dilacerante dor e sofrimento quaseContinuar lendo “Dois tipos de aborto silencioso e cruel”

Como desejo ser assim com Deus…

No domingo, 15 de outubro, recebi um e-mail de uma amiga que mora distante, no qual me perguntava sobre um áudio que escutei de sua filhinha cantando e também contava sobre sua relação de aprendizado com ela. Embora o texto tenha sido breve, achei-o profundo e rico de sentido para as nossas vidas, visto queContinuar lendo “Como desejo ser assim com Deus…”

Papai, o meu ídolo agora é um bandido?

A velha questão da decepção dos ídolos de nossas crianças volta à tona no país. Imagine a dor para o coração dos pais ao ouvir do filho esta pergunta dilacerante: “Papai, o meu ídolo agora é um bandido?” O que dizer à criança? O que responder sem que a verdade seja omissa e sem queContinuar lendo “Papai, o meu ídolo agora é um bandido?”

Ainda bem que sou brasileiro!

Perdemos a Copa, mas não me envergonho de dizer: ainda bem que sou brasileiro! Quando nos entristecemos e choramos pela desclassificação da nossa Seleção, não escondemos nossa emoção e nossas lágrimas. É doloroso, mas é bonito ver nossas crianças chorarem sentadas nos ombros do Pai. O Pai deixa que elas chorem, é a emoção, éContinuar lendo “Ainda bem que sou brasileiro!”