Quaresma: retorno para Deus!

Chega a Quaresma e na homilia (03/2 – Quarta-feira de Cinzas) o padre dizia: “A Quaresma é retorno. Seu sinônimo é volta para Deus”. E complementou: “Quaresma é retorno para a convivência fraterna, para a luz da fé, pra vida sacramental. Nada disso deve ser formalismo, nem farisaísmo, mas mergulho humilde na intimidade com Deus”.Continuar lendo “Quaresma: retorno para Deus!”

Viver para si mesmo não é felicidade

Trechos da homilia do Pe. João Paulo Dantas, CCSh (Professor da FCF), 23 de fevereiro de 2012:  O Senhor nos convida a “escolhermos a vida, amando-o com sinceridade e obedecendo sua voz”. Ora, só o amor realiza a natureza do homem. Todo caminho que distorce desta verdade é um modo de negá-lo. Devemos ser comoContinuar lendo “Viver para si mesmo não é felicidade”

Conversão ao Evangelho: da ruína, ao tempo novo!

A Bíblia, revelação do Deus transcendente, abre-se e se fecha com observações temporais: “No princípio Deus criou…” (Gn 1,1); “Sim, venho muito em breve” (Ap 22,20). Deus não é cultuado, na Bíblia, de modo atemporal e abstrato, em sua essência eterna, como nos filósofos gregos, mas em suas intervenções no momento presente do homem, queContinuar lendo “Conversão ao Evangelho: da ruína, ao tempo novo!”

Desistir por causa de nossas fraquezas? Jamais!

A Liturgia da Palavra do Tempo do Advento é mesmo de grande providência divina para o que precisamos viver como Igreja, como Sociedade, mas, sobretudo, como pessoa batizada e católica. Falamos muito da necessidade da escuta da Palavra, que já é um milagre em nossos dias de muitas correrias e compromissos, mas quase sempre esquecemosContinuar lendo “Desistir por causa de nossas fraquezas? Jamais!”

Nada de desânimo, mas, conversão!

Tratar da questão da hipocrisia é sempre desafiante, porém necessário. Afinal, todos nós, os cristãos, somos sujeitos ao engano profundo, à infelicidade de falar bonito e não viver nada. Talvez alguns de nós já tenhamos provado das consequências desta areia movediça. Agarrados por ela agimos como se estivéssemos em terra fixa, mas estamos mesmo éContinuar lendo “Nada de desânimo, mas, conversão!”

Correção fraterna: felizes os que voltam à luz

A correção fraterna é algo não tão fácil de viver em dias como os nossos, no quais vemos fortemente a vivência da fé numa perspectiva isolada, a ponto de gerar indiferença e descompromisso com o outro que celebra o mistério conosco. A Igreja primitiva tratava o processo da conversão com muita seriedade e não seContinuar lendo “Correção fraterna: felizes os que voltam à luz”

Santa Mônica: suas virtudes falavam de Deus

“Deu-me a vida temporal segundo a carne e, pelo coração, fez-me nascer para a vida eterna” (Confissões, L.IX,8,17). Estas palavras de Agostinho à sua querida mãe, Mônica, constituem uma belíssima confissão. A Igreja celebra neste dia, 27 de agosto, a feliz memória desta grande mulher de fé que teve fundamental importância no processo de conversãoContinuar lendo “Santa Mônica: suas virtudes falavam de Deus”

Os nossos sonhos e a felicidade

Entre a cadeia de Perúsia e a noite de Espoleto nunca os sonhos de Francisco de Assis, a sede de glória, foram tão manifestos e ao mesmo tempo alvos do desmoronamento. A visita de Deus e o desejo do despojamento cravariam em seu coração uma marca indelével. No entanto, Deus sabe que preparar uma vidaContinuar lendo “Os nossos sonhos e a felicidade”

Matemáticos e evangelizadores

Aprendi que a teologia, muito mais que a filosofia, faz a pergunta pelo homem, pelo sentido de sua existência, pela sua origem e seu destino, pela verdade sobre si mesmo e sobre o Seu Criador. Aprendi que na teologia a pergunta pelo homem não pode ser formulada autenticamente se não parte do princípio fundamental deContinuar lendo “Matemáticos e evangelizadores”

Rasgar o coração…

É por demais oportuna a Quaresma ser iniciada cada ano com uma Liturgia da Palavra tão concreta às nossas vidas, na qual Deus pede através do profeta Joel (Cf. 2, 12-18) que voltemos para Ele com todo o coração. A necessidade de retorno é a primeira ação da graça em nós. As práticas penitenciais (jejum,Continuar lendo “Rasgar o coração…”