O sentido de vida é o que nos norteia diante de qualquer contexto de privação e dor

A experiência de Viktor Frankl nos ensina que é possível superar as fissuras da história e recomeçar com amor e esperança.

O médico e psiquiatra, Viktor Frankl (1905-1995, Áustria), é o fundador da Logoterapia e Análise Existencial, ou seja, a ciência especializada no sentido da vida humana. O médico sobreviveu aos campos de concentração nazistas, mesmo tendo perdido tudo o que era seu, pois, exceto a irmã, toda a sua família judia morreu em campos de concentração ou nos crematórios. Dr. Frankl esperou a morte em cada jornada, pois eram grandes os seus sofrimentos, tais como a fome, o frio a brutalidade dos nazistas praticamente diárias. E a gente se pergunta como ele conseguiu superar, suportar, esperar e acreditar que valia a pena perseverar.

O prisioneiro nº 119.104, como era identificado, passado quase três anos dentro daquela horrível experiência, e já com o histórico de conviver com os doentes mentais – o que parte de sua missão como psiquiatra, encontrou razões mínimas dentro de si para desejar permanecer vivo e, além do mais, incentivar, motivar e ajudar a muitos dos seus companheiros prisioneiros para que não se entregassem. Aquela condição de sofrimento e humilhação não eram maiores que a dignidade humana, por mais que eu ela estivesse destroçada. Ele descreveu após a prisão que “o que mais doía não eram os castigos físicos, mas a dor psicológica, a revolta pela injustiça ante a falta de qualquer razão. A insensibilidade em tratar a pessoa humana causa dores incomparáveis!”

O ponto crucial observado por Viktor Frank foi o vazio existencial, o distanciamento em definitivo das razões mais profundas que nos sustentam diante de toda perda e tragédia. Daí vieram as certezas absolutas de que o sentido de vida é o que nos norteia diante de qualquer contexto, por mais doloroso que seja. “Quem não consegue mais acreditar no futuro – seu futuro – está perdido no campo de concentração”, pensava naquela ocasião. E confirmou em toda a sua vida que quando perdemos o sentido e as razões pelas quais devemos continuar, então já vivenciamos uma morte antecipada. Uma pergunta fundamental deve ser feita para nós mesmos: qual é o sentido da minha vida? Onde estão, afinal, os meus olhos e o meu coração?

Há muitos sofrimentos, perdas e lágrima em nossos dias, seja pela pandemia do coronavírus, da violência, da criminalidade ou mesmo de uma vida privada do básico para se sustentar. Vemos muitas vidas que, embora tenham quase tudo, parecem viver em campos de concentração. As razões da felicidade de muitos parecem estar unicamente naquelas realidades passageiras, e não na sensibilidade com a vida humana nossa e do outro. Sim, “tudo concorre para o bem do que amam a Deus”, por isso é preciso acreditar no futuro, no nosso futuro, mesmo que ele necessite nascer das cinzas. É preciso dar sentido e significado ao ontem! Não desista de si e nem de quem mais precisa de você. Mantenha-se vivo, sempre a começar dentro de si! 

Por: Marcos de Aquino, 13/05/2020.

2 comentários em “O sentido de vida é o que nos norteia diante de qualquer contexto de privação e dor

  1. Também tenho a inquietação de entender o sentido da vida. Acredito ter conseguido dar uma resposta definitiva sobre qual o sentido da vida com base na Teoria do Infinito Bilateral em minha página na internet. Grande Abraço!

    veja: Blog davipinheiro (Qual o sentido da vida)

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: