A voz da casa vizinha na minha vida!


No livro Confissões, clássico de Santo Agostinho, estão as mais belas e profundas expressões referentes à sua experiência de conversão a partir do contato com a Palavra de Deus. Agostinho conta que, embora já em processo de visita de Deus na sua vida, vivia atormentado com suas fraquezas, com seus pecados. Queria o novo, mas estava ainda preso à vida de pecado, aos prazeres da carne que o deixavam escravo de si mesmo.

Um dia Agostinho faz uma radical pergunta a si mesmo: “Por quanto tempo, por quanto tempo direi ainda: amanhã, amanhã! Por que não agora? Por que não pôr fim agora à minha indignidade? Assim falava e chorava, oprimido pela mais amarga dor do coração.” E completa Agostinho: “Eis que de repente, ouço uma voz vinda da casa vizinha. Parecida de um menino ou menina repetindo continuamente uma canção: ‘Toma e lê, toma  e lê’.  Mudei de semblante e comecei com a máxima atenção a observar se se tratava de alguma cantiga de criança. A única interpretação possível, para mim, era a de uma ordem divina para abrir o livro e ler  as primeiras palavras que encontrasse. (…) Peguei o livro, abri e li em silêncio o primeiro capítulo sobre o qual caiu o meu olhar: ‘Não em orgias nem bebedeiras, nem na devassidão e libertinagem, nem nas rixas e ciúmes. Mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo  e não procureis satisfazer os desejos da carne’ (cf. Rm 13, 12-14). Não quis ler mais, nem era necessário. Mal terminara a leitura dessa frase, dissiparam-se em mim as trevas da dúvida, como se penetrasse no meu coração uma luz de certeza (Livro VIII, 12,28-29).”

Agostinho considera neste fato o marco concreto de sua decisão radical por Deus. Em outra ocasião ele diz: “Tocaste-me o coração com a tua palavra, Senhor, e comecei a amar-te” (Livro X,6,8). Para quem já teve oportunidade de rezar com esta obra de Santo Agostinho maravilha-se com a força da palavra de Deus na sua vida. Não há melhor remédio para as nossas feridas, para a solidão, para o perdão, para a conversão do que a experiência sempre renovada com a Palavra de Deus. Essa voz que vem da casa vizinha sempre reacende em nossos ouvidos e coração a nostalgia de Deus. Obrigado, Senhor, por aqueles e aquelas que neste tempo são para mim este apelo Teu: Toma e lê! Deixa, filho, que essa palavra toque o teu coração para que voltes a amar o Senhor. Torna atento os teus ouvidos e ouve a voz que vem da casa vizinha! 

Antonio Marcos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: